Novembro Azul, Mulheres na Causa

Rating: 4.4. From 5 votes.
Please wait...
Postado por
Postado em
Tags:
Novembro Azul, Mulheres na Causa

 

Olá mulherada linda! Hoje quero falar sobre o Novembro Azul. Novembro Azul? Campanha de prevenção do câncer de próstata? Como assim Novembro Azul em um blog voltado para o público feminino? Siiiim! Afinal de contas, toda mulher tem um homem em sua vida, não é? Pode ser o pai, o marido, o irmão, o avô… Todas nós temos alguém que amamos do sexo oposto, e nos preocupamos com eles, por isso a importância de estarmos por dentro deste assunto, de debater sobre ele, para poder orientar.

Pesquisas compravam que as mulheres tem mais cuidado com a saúde, principalmente quando se trata de saúde preventiva. Nós frequentamos muito mais os consultórios médicos do que os homens. Eles normalmente vão quando o problema já existe evidentemente, quando já tem sintomas, e muitos sintomas, quando a dor já é insuportável, e normalmente nesses casos já está em estágio bem avançado. Isso falando em qualquer quadro, não só o câncer de próstata.

Mas, o que é câncer de próstata? O que é próstata? A próstata é uma glândula localizada abaixo da bexiga, que envolve a uretra, e é responsável pela produção do esperma. As células cancerígenas que sofrem mutações, se multiplicam muito mais rápido que as células sadias da próstata, quando descoberto em estágio inicial a chance de cura é maior, já que o tumor se encontra localizado, diferentemente de casos avançados, quando já pode ter se espalhado pelo corpo, pelo sistema linfático, ou pelo sangue. Por isso a importância de diagnosticar cedo, de prevenir e tratar logo no início. Esse é o intuito da campanha, Novembro Azul, alertar, e estimular o diagnóstico precoce da doença.

Quando se fala em câncer de próstata, já surgem muitas inquietações, preconceitos, principalmente quanto ao exame necessário para o diagnóstico, o exame de toque. No novembro azul, tem-se a intenção de derrubar essas concepções retrogradas. Existe o exame de sangue, que identifica a dosagem de uma proteína no sangue, e o exame de toque, mas um não dispensa o outro, são complementares, o de sangue pode apresentar um índice considerado normal, mesmo o paciente estando com câncer, e no de toque, dependendo de onde o tumor está localizado, não se pode detectar.

O diálogo é muito importante, vivemos em uma cultura machista, já conseguimos derrubar muitos preconceitos, muitos mitos quanto a masculinidade. Mas ainda existem muitos homens que não fazem o exame, por rejeição, medo do que vão pensar, do julgamento, ou que duvidem de sua masculinidade. Este mês, novembro azul, tem esse intuito, falar, no assunto, trazer em evidencia, e fazer entender a importância. É complicado, afinal de contas se trata de uma área intima, de um pessoa estranha, permitir que outro te toque, é difícil lidar mesmo, mas nós mulheres lidamos com isso anualmente, desde muito cedo, eu mesma fiz meus primeiros exames ginecológicos aos trezes anos, e aprendemos, e somos ensinadas por nossas mães, ou responsáveis de que isso é necessário, para nossa saúde, que ali na nossa frente existe um (a) profissional, que vai fazer o seu trabalho, com toda ética e respeito. O exame de próstata preciso ser encarado da mesma forma. Agradável? Não é! Mas é necessário, e isso não diz nada sobre o que somos, sobre nossa sexualidade, é um exame!

Eu tive um namorado, já faz um tempo, que tinha algumas ideias um tanto antiquadas, sobre vários assuntos, e ele tinha uma ideia muito fixa sobre o exame de próstata, ‘Prefiro morrer de câncer, do que deixar alguém me tocar…’, ‘Meu pai disse que nunca, ninguém vai fazer esse exame nele…’, ‘E eu vou seguir o exemplo do meu pai!’ Me lembro que na época fiquei pasma, por um rapaz jovem, instruído me falar essas coisas, tentei argumentar, mas a posição era muito firme. Qual não foi minha surpresa, recentemente, quando por intermédio das redes sócias, fiquei sabendo que o pai dele está se tratando de um câncer de próstata! Então, será que valeu a pena? Tenho certeza, de que esse rapaz mudou de ideia! Mas foi necessário o pior acontecer, seria tão mais fácil se esse senhor tivesse aceitado, e dado o exemplo para esse filho de forma muito menos dolorosa.

Mulherada, vamos conversar, vamos abrir o jogo, se necessário até fazer piada! O novembro azul, serve como alerta, mas vamos tocar no assunto, mais vezes, tomar cuidado as evidencias, sintomas de nossos familiares. Precisamos educar os homens da necessidade do exame de toque, assim como nossas mães nos educaram quanto aos exames ginecológicos, precisamos quebrar o tabu, e ajudar esses cabeças duras a se cuidarem. Mostrar que amor próprio, é mais importante que orgulho, que ‘macheza’. Quem se ama, e ama sua família, seus entes queridos, se cuida, para poder estar com eles e cuidar deles. Vamos nós, que somos mais cuidadosas, vencer essa doença que mata tantos pais, maridos, avós, irmãos, todos os dias.

Fico por aqui, até a próxima quinta, falando sobre a violência contra mulher. Um grande beijo, e até mais!

3 comentários

  1. Jéssica R. Vargas Wiethan disse em novembro 19, 2017 Responder

    Muito bom e informativo, Dani!!! Precisamos ajudar a mudar essa realidade, repassando essas informações, pois infelizmente ainda há muito preconceito!!! A prevenção sempre será melhor escolha.

    Rating: 5.0. From 1 vote.
    Please wait...
  2. Camila Freitas disse em novembro 20, 2017 Responder

    Lindo texto Dani e muito verdadeiro, como os homens falam bobagem hahah!
    Também não amamos ir na ginecologista, mas vamos, porque não temos esse preconceito bobo!
    Parabéns pelo texto!

    Rating: 5.0. From 1 vote.
    Please wait...
  3. Bruna Oz disse em novembro 22, 2017 Responder

    Você tem talento!!Que texto perfeito ,com ótimas palavras….

    Rating: 5.0. From 1 vote.
    Please wait...

Deixe uma resposta

Nota: Os comentários no site refletem as visualizações de seus respectivos autores e não necessariamente as visualizações deste portal. Os membros são convidados a abster-se de insultos, palavrões e expressões vulgares. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário sem aviso prévio ou explicações.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são assinados com *

*
*